Release

REALIZO… LOGO SOU”.

Hoje, 98% da população do planeta, trabalham fazendo o que não gosta para sobreviver.

Está ficando cada vez mais difícil olhar ao redor e sentir algum tipo de satisfação.

E eu não estou me referindo apenas ao tipo de satisfação que nos motiva a sorrir diante de um acontecimento aparentemente bom. Não é aquele negócio de se ver bem colocado na profissão ou se sentir equilibrado numa relação amorosa ou ainda bem acompanhado por amigos nem sempre fiéis.

Eu me refiro àquela sensação estranha e angustiante que nos acomete quando olhamos para nós mesmos e vemos – além das obviedades mundanas – um hiato monstruoso entre o ser e o ter.

Porque sabemos que para “ser” é necessário que “realizemos”.

Realização… Acredito que poucos podem afirmar com certeza que tiveram essa vivência extraordinária. Apenas aqueles que acordaram desse sonho quimérico que um gênio, dia desses, batizou como “mundo de Matrix”.

O mundo está cada vez mais egoísta.

E é nesse egoísmo que estamos mergulhando sem nos dar conta que não é assim que atingiremos nosso nirvana pessoal.

REALIZO… LOGO SOU prima em escancarar a realidade, expondo de maneira visceral os nossos vícios cotidianos e nossos “pecados” universais.

Porque “realizar” é o único caminho que temos para “ser”.

É difícil de ler. Percorrer suas linhas nos obriga a encarar uma verdade que queremos oculta. Rasga nosso peito e penetra nele como ferro ardente. Mas também abre nossos olhos.

E abre nosso coração.

Este é um testemunho. Palavras de alguém que viu seu mundo sendo transformado à medida que compreendia uma verdade para a qual mantinha os olhos fechados.

Ler “REALIZO… LOGO SOU”, é uma obrigação. Para todos.

Inclusive para aqueles que ainda preferem continuar mergulhados na escuridão de sua existência pífia…

Mino de Oliveira

www.minodeoliveira.com.br

11 – 2862.0024 / 9420.2012

?

Deixe uma resposta

XHTML: You can use these tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>